Esterilização e desinfecção: quais são as diferenças?

Postado em |

Os produtos para saúde, precisam ser limpos, passar pelo processo de desinfecção, esterilização e possuir registro na Anvisa para garantir a segurança dos pacientes e evitar a transmissão de infecções.

Muitas vezes quando falamos em esterilização, as pessoas associam a uma mera limpeza ou até mesmo ao processo de desinfecção. A esterilização e a desinfecção são comumente confundidas entre si, apesar das diferenças altamente relevantes. Entender as particularidades e a relevância de cada processo é importante para assegurar a melhor qualidade dos materiais e a segurança dos pacientes.

Limpeza dos materiais: a primeira etapa dos processos de esterilização e desinfecção

A limpeza é o processo que remove toda a sujeira visível e detritos dos materiais, e podemos dizer que se trata de uma etapa muito importante para garantir a excelência na esterilização e/ou desinfecção. Nas palavras de Claudionor Marques, Diretor Técnico da Bioxxi: “Para qualquer produto para saúde ser estéril, precisa primeiro ser limpo e, somente assim ser desinfetado ou esterilizado”. Isso se dá porque a limpeza garante que resíduos de matéria orgânica que possam ficar presentes nos materiais não interfiram na qualidade dos processos de desinfecção e esterilização.

Esterilização e Desinfecção: quais são as diferenças?

No que tange a desinfecção, pode-se descrever como o processo físico ou químico que destrói e/ou elimina a maioria dos microrganismos patogênicos de objetos inanimados e superfícies, com exceção de esporos bacteriano, podendo ser de baixo, intermediário ou alto nível. Já a esterilização é o processo que destrói todos os microrganismos, inclusive esporulados, através de processo químico ou físico. Isto é, serve para fazer um objeto inanimado e superfície livre de todas as formas viáveis de microrganismos.

Como escolher o melhor método para o tratamento do seu material?

Percebe-se que a esterilização vem a ser mais eficiente, e a escolha entre a esterilização e a desinfecção deve ser feita de acordo com o risco de propagação da infecção.
Assim, de acordo com a Classificação de Spaulding (1972) e a RESOLUÇÃO – RDC Nº 15, DE 15 DE MARÇO DE 2012, a esterilização é necessária para todos os dispositivos médicos críticos, ou seja, aqueles utilizados em procedimentos de alto risco, que penetram tecidos ou órgãos. No que diz respeito aos dispositivos semicríticos, isto é, aqueles que entram em contato com a pele não íntegra ou com mucosa do paciente, eles também devem passar pelo processo da esterilização, ou, ao menos, desinfecção de alto nível. Já os materiais não críticos, ou seja, aqueles que só entram em contato com pele íntegra, devem ser desinfetados, ou, ao menos, limpos.

Classificação de Spaulding (1972)
Classificação de Spaulding

A Bioxxi

Para que o processamento de materiais médico-hospitalares seja feito de forma padronizada e seguindo todas as normas de segurança, o mais indicado é que clínicas e hospitais contratem uma empresa especializada. Uma equipe devidamente capacitada e com conhecimento técnico adequado dá garantias de um serviço eficiente, que diminuirá de forma significativa a possibilidade de contaminação em ambiente hospitalar.

A Bioxxi é líder na América Latina em Esterilização de Produtos para a Saúde. Inovamos através da tecnologia de esterilização, fundamos e desenvolvemos o setor, pautada sempre nas melhores práticas ao redor do mundo. Fizemos história, participando ativamente de comitês reguladores para a normatização desta indústria.

Para saber mais sobre o nosso processo de esterilização, preencha o formulário abaixo.